domingo, 30 de novembro de 2008

Como escolher nomes de personagens para RPG: parte 2

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Continuando a série sobre nomes para personagens, agora venho tratar de uma das dúvidas mais comuns nos jogos de RPG de fantasia.

Que nome dou ao meu/minha elfo/elfa? Ou como é meu nome élfico?

Existem na net muitos geradores de nomes élficos aleatórios que seguem pouco ou nenhum critério. E a dúvida mais freqüente de muitos jogadores é como colocar um nome que tenha mais nexo. Uma solução prática para isso é o próprio nome; usar as línguas élficas que J. R. R. Tolkien criou costumam ser o melhor jeito de ter um bom nome élfico.

Nomes Élficos Tolkenianos
Antes de mais nada, saiba o que o seu próprio nome significa. E para isso que serviu o artigo anterior; o Google também é bastante útil para isso. Pesquise! Se você tem acesso à Internet, não tem desculpa de não encontrar; se não está encontrando algo é porque você não está fazendo a pergunta direito.

Uma sugestão quanto aos nomes élficos da obra de Tolkien é que o Quenya ou Élfico Antigo seja usado para personagens da nobreza e de linhagem antiga, enquanto o Sindarin ou Élfico Cinzento para personagens de origens mais humildes e/ou mais novas. Mas isso só se você curte Tolkien e prefere ser mais preciso com seu legado.
O Quenya tem muitas semelhanças com as línguas latinas, como nosso português, e é mais fácil de pronunciar que o Sindarin, mais semelhante às línguas anglo-saxões. Mas o que importa mesmo na construção de um nome élfico tolkeniano é a sua sonoridade; às vezes me confundo em que posição fica o adjetivo nos nomes élficos, mas prefiro um pouco de liberdade poética nesses nomes: adjetivo após substantivo para indicar formalidade e adjetivo a frente do substantivo para os mais poéticos. Chamem elfos de boiolas se quiserem, mas para um povo que celebra a vida, ter nomes que são poemas por si só me parece algo natural.

Algumas páginas que dão exemplos são:
E em português:
Ardalambion, com dicionários.
Lothlórien, com fanfics.
Valinor, com vários artigos referentes às obras de Tolkien. E principalmente leia este artigo sobre os Elfos de Tolkien de autoria do “ALF”, que trás uma ótima explicação, não só dos nomes, mas de como são os elfos tolkenianos, inclusive me explicando totalmente o porquê do meu desgosto por esta versão deles.

Nomes Élficos Mais Reais
A outra solução que encontrei e tenho usado é a de usar nomes reais, do nosso mundo mesmo. Mas não simples nomes. Procuro por nomes mais clássicos, que caíram em desuso, mas que possuem significado forte. Alguma pequena alteração na grafia, como tremas e encontros vocálicos, e esta feito o nome élfico. Por exemplo:

Egion: Mistura do alemão Egon (espada) e o sufixo ion, muito usado por Tolkien para designar “filho de”.
Linnäe: Inspirada no nome sueco Linnáe, que por sua vez vem da flor da Linnaea, uma planta rara que só ocorre nas florestas boreais. Linnaea é a versão do nome em inglês e seu uso é raro.

Em muitos casos uso o nome sem alteração, pois o nome já é incomum o suficiente. E em todos os casos, os nomes que uso tem algum significado para o personagem. Dos dois exemplos, o Egion seria alguém ligado a uma linhagem de combatentes ou ele mesmo seria um; e Linnäe provavelmente seria alguém afável e bastante ligada à natureza.

Bem, essas são as dicas que dou, mas isso não são regras. Pesquise, misture, experimente; para mim, o que importa para um nome élfico é que ele soe bem e carregue um significado.

Até a próxima, porque ainda tem mais sobre os nomes de personagens!

Nenhum comentário: